Representantes das micro e pequenas empresas levam propostas para Vila Velha


27/04/2017 14:10

Na tarde desta quarta (26), membros da Femicro, da Associação de Contadores de Vila Velha (Ascovv), do CDL e do Sindilojas estiveram reunidos com o prefeito Max Filho para apresentar propostas em benefício das micro e pequenas empresas e tentar desburocratizar alguns trâmites junto ao poder público.


18195588_1454958371244658_393122766_o


Uma das sugestões foi a de ampliar o Portal do Microempreendedor Individual para demais empresas, permitindo assim o envio de documentos em meio digital. Com isso, mais serviços poderão ser resolvidos online, reduzindo o fluxo de papel e dando mais agilidade ao processo. Outra ideia é facilitar o atendimento do MEI na Prefeitura, para que o empresário possa já tirar dúvidas e resolver pendências simples direto no balcão.


No encontro também foi discutida a realização da II Feira do Empreendedor de Vila Velha, que deve contar com o apoio da Prefeitura. A proposta é trazer o Congresso Nacional de Micro e Pequenas Empresas para acontecer junto com o evento em outubro, em comemoração ao Dia Nacional da MPE, oferecendo uma programação diversa aos empresários.


Houve ainda a sugestão de criar um Centro Empresarial em Vila Velha, onde micro e pequenas empresas prestadoras de serviço pudessem compartilhar o espaço físico e equipamentos, como num escritório compartilhado. Assim, aquelas que não têm condição de arcar com aluguel de galpão poderiam voltar à ativa, gerando receita de serviços para o município. Para isso, Ascovv, Sindilojas, Findes, Femicro, Sindimicro, Universidades, Ifes e prefeitura iriam se juntar criando uma lei que viabilize o surgimento de incubadoras de empresas e centros de treinamentos para empreendedores.


Outras propostas foram levantadas no intuito de simplificar e revisar a legislação para os microempresários. No âmbito da Vigilância Sanitária, entre outros assuntos, foi ressaltada a implantação da fiscalização educadora, que dá um prazo para se regularizar até a segunda visita, conforme prega o artigo 55 da Lei Complementar 123/2006. “Temos leis a nosso favor e precisamos mostrar que estamos cientes para que elas possam ser cumpridas, e assim, possamos desenvolver esses projetos de maneira mais eficiente”, afirma o coordenador de fomento da Femicro, Wanderley de Oliveira.